Churrasco de Recepção dos Calouros 2010.2

- Ei! Vamos jogar? - disse o Joel, do Direito.
- Hum... Ok!
- Quero ver você adivinhar onde tem um calouro da ADM por aqui. - A veterana olhou para todos os lados e não viu nada além do estacionamento, a velha Ação Júnior e algumas moitas.
- Hum... Não tô vendo...
- Olha bem! - Ela tornou a olhar em volta com mais atenção, até que viu um pequeno par de pés saindo de trás de uma moita. Era o calouro.


Primeira festa do semestre! Depois de pouco mais de um mês de férias, lá estavam os veteranos para se rever e conhecer os calouros. Sempre ocorrem coisas diferentes, apesar de muita coisa continuar igual. Mas a maior surpresa mesmo aconteceu enquanto preparávamos as coisas do churrasco.

Estávamos lá cortando a carne, enquanto o Ferrera as temperava (anotem isso: "É claro que eu sei cozinhar! Que pergunta...") e mais alguns descarregavam o gelo quando olho pra trás e vejo simplesmente o Ricardo, diretor do CSE, e o Álvaro Prata, Reitor da UFSC, ali no anexo. Pelo que entendi, ele foi mostrar as novas divisórias e explicar sobre o projeto que tem para a área: demolir tudo e contruir salas pros CA's e uma área de festas. O pessoal do CCE podia dar uma ideia pro Felício, né? Gente boa pra canário...

Depois um breve papo com os caras, convidamos-os para o churrasco (como manda a velha e boa educação) e voltamos ao trabalho. E assim que terminamos de arrumar tudo esperamos os calouros chegar. Depois de uma hora de espera aparece um perdido, o que chamou o Diego de gente boa na comunidade. O nome dele é Felipe, mas a Ana Carla chama ele de goiaba. Bom, a comunidade esse semestre não bombou como de costume, e por isso a público foi reduzido. Eu disse o público, não a bebedeira.

O pessoal foi chegando, chegando, começando a beber, quando algumas meninas já estavam doidas. Não vou dizer o nome, mas fica fácil saber quem foi: nessa hora tínhamos a Mayumi, a Camila e a Karen. A Camila tinha saído e a Karen estava cuidando dos pagamentos. Sim, senhores, essas eram as três mulheres no churrasco. Aliás, depois chegaram mais, mas tinha gente me perguntando se por engano não tinha entrado num churrasco do CTC. Sério.

Bebida liberada! Todo mundo se servindo de gummy, cerveja, vodca... Faltava algo. Sim! Onde estiver um calouro ainda vivo, ele estará lá! O grandioso, alucinógeno, maravilhoso, proparoxítonaaaaaa...

OOOOOOHHHHHH!!!


"Se o calouro que ser o nosso amigo, ele vai ter que beber de uma vez! Ala arriba, ala bajo, ala centro! Agora vai, vai, vai... ". Havia poucos calouros, mas o suficiente para começar a brincadeira. Como sempre, tem o calouro que pede mais! O Ricardo pediu pra dividirem com ele a garrafa, mas no fim acabou bebendo sozinho. Tá difícil alguém bater o Renato, calouro de 2009.2, com seus intermináveis segundinhos de maraca. Aliás, os calouros bebem cada vez menos! Antes fazíamos com todos a Trilogia da Amizade (ou seja, para quem não entende, três vezes) com vodca; hoje fazem míseros 10 segundos com maraca. LAMENTÁVEL.

Mas mesmo assim tem gente que morre. Foi nessa que um calouro, o Justin Bieber, ficou com vergonha de passar mal na frente dos outros e se escondeu atrás da moita. Falando em fazer coisas escondidas, outras nem tantas assim, óbvio que cachaça na cabeça leva alguns corações solitários a buscarem companhia. Só não vou tentar descrever a rede social que se formou naquela noite porque é mais confuso do que fiação elétrica de favela.

O último calouro se deliciava do manjar amarelo dos deuses quando quem aparece? (Tchã tchã tchã tchããã...) - O Ricardo, diretor do CSE. E não é que ele aceitou o convite? Sorte nossa que ele não viu a brincadeira do maraca, e nem cruzou com algum bêbado ou se deparou com cenas selvagens de sexo durante seu trajeto até a churrasqueira. Falando em churrasco, lembram que eu pedi para vocês guardarem a frase "É claro que eu sei cozinhar! Que pergunta..."? Pois bem, a carne estava um verdadeiro charque. Mesmo assim todos comeram e, por conta disso, beberam muita cerveja. Eu achava que a bebida ia acabar cedo demais, até abrir a caixa d'água e ficar mais tranquilo. Tranquilo a ponto de sortear as mochilas que o CAAD fez entre os calouros e ir dançar funk com a galera.

Foi nesse meio tempo que a Mei me lembrou da aposta que fez no ENENUT e me cobrou. Como sou homem de palavra, cumpri. E tem ibagens! Fora isso, a pegação rolou solta. Teve calouro pegando caloura, relações internacionais e muito mais. 1007 era pouco! Estava tão parecido com nossa querida "boite chik" que até dançamos a Dança do Pescador, a Dança do Badalo e a Dança da Minhoca, ao som do Bonde das Cabeçudas:


O Bonde segue sua Nau!


Dancei tantro que cheguei a rasgar minha calça jeans [?]. O pessoal foi ficando bêbado até cair, ou dormir nos sofás, ou quebrar a porta do CARI.



Olha, estudante de Adbinistração realiza tentativa de arrombabento do Centro Acadêbico de Relações Internacionais. O jovem, provavelbente embriagado, não foi reconhecido pelos presentes na festa. Há! Quer dizer... UBA BAAAARBARIDADE! Cadê a DESEG? Cadê a Delegada? Bas isso é um absurdo! Esses vândalos têm que ir pra cadeia! Ééé... Em resposta os acadêbicos do CARI organizaram uba banifestação. Acompanhem, NA TELA!

"Ados, ados, ados! Estamos arrombados"


Tivemos novamente a Taça do Mundo, numa versão mais "potável". O Caio trouxe seu Narguile para animar mais um pouco, assim como o Kretzer com seu iPod. Eu trouxe... Bem, deixa pra lá.

Logo já era umas duas da manhã quando a maioria estava indo embora. Alguns se recusaram, pois ainda havia muita cerveja e, para que aquilo não chocasse, fizemos esse sacrifício. Só não sabíamos que isso duraria até a manhã. Marcava 6:32 no relógio quando a última garrafa foi aberta. No dia seguinte a maioria estava de ressaca até a noite, ou meio bêbado. Mesmo termos bebido aquele monte de sobras, teve gente que chegou a dar PT no carro, o que não é legal. O que a gente não faz pelo bem de todos, não?

E assim começa mais um semestre. Bem-vindos calouros (ou não)!

2 comentários:

  1. O Joel fez a mesma piadinha comigo: "Karen, vamos ver se tu é boa de visão. Tem alguma coisa por ali..."
    E eu: "meu Deus! Tem pés saindo da moita!"
    E não é que segunda eu chego no CSE e cortaram a moita do calouro?
    Mas pra terminar...fui lá e perguntei pro justin bieber se ele estava bem. Ele disse que sim. Perguntei onde ele morava e ele disse que no Pantanal. Eu fiquei de achar alguém pra levar ele embora e...
    Quando chego em casa e vou dormir, lembro do calouro na moita!
    Segue ligação: tuuuu....tuuuuuuuuu...tuuuuu... atende porra!
    - Alô?
    - Eduuuuuuuuuu...esqueci um calouro na moita! Corre lá pra ver se ele tá vivo!
    Segunda ligação: tuuuuuuuu...tuuuuuuuuu... alô?
    - Edu, achou o calouro?
    - Cara, ele sumiu!
    Ops =x
    Mas foi tudo muito bom...tirando que tive que ficar cobrando de todos que chegavam, que derramaram maraca no teclado novinho do computador do CAAD e que tinha muito calouro chato pentelhando...
    Enfim, me diverti por uma horinha, bebi, dancei freneticamente, gravei vídeos, tirei fotos e fui embora.
    E hoje tem mais!

    ResponderExcluir