Boitatá da UFSC

Apesar de vermos as oscilações na Economia Mundial, a UFSC (por ser um universo à parte) consegue manter alguns produtos longe da inflação. Há vários anos, duas coisas UFSCquianas mantém seus preços inalterados: o passe do RU a R$1,50 e a famosa promoção de 3 cervejas por R$5,00 nos Happy Hours. Ou seja, os estudantes não precisam se preocupar: a Hierarquia de Necessidades de Maslow, que tem como base a comida e bebida, é facilmente cumprida com os preços acessíveis da UFSC.

Porém, como tudo tem seu lado ruim, o RU acelera o aquecimento global. Sim! Como? No processo de digestão dos alimentos do RU, seu estômago produz aceleradamente CO², que vai sendo liberado descontroladamente ao longo do dia. Outro problema frequente é de cunho social onde as pessoas, por conta da produção excessiva do CO², constantemente se afastam dos frequentadores do Restaurante Universitário.

Ontem a noite fui ao RU para economizar no orçamento alcoólico. Fiquei por uns minutos observando a nova estátua, gigante, do Boitatá que colocaram no lago reformado. Pra mim (e pra muitos) aquilo parece o esqueleto de uma Drag Queen maconheira, com aqueles olhos vermelhos e estranhos. Enfim, não é a primeira e nem vai ser a última estátua esquisita da UFSC.

Hoje vai ser noite de Cervejada do C6 (festa open bar, dentro da UFSC, aberta a todos os públicos). Também tem trote da Produção, mas esse acho que ninguém vai. A correira vai ser absurda mas o final recompensa, uma vez que no bar de cervejada se trabalha no esquema 1-2-1-2 (um gole pra você, dois goles pra mim, um gole pra você, dois goles pra mim).

É hoje que volto pra casa no estilo cobra (rastejando)!

2 comentários: